Um certo dia, comecei a pensar por que  algumas pessoas não gostam do Natal...

                  Com certeza, existem vários motivos, mas eu levanto uma hipótese: estas pessoas podem estar desencantadas com a vida, perderam a fé nas pessoas, descobriram que a vida não é o que desejavam e que suas fantasias estão longe de se realizarem, mas se revoltam contra isso até hoje...

                  Lembro do dia em que meu pai, com pouco tato, me disse que Papai-Noel não existia! Chorei, fiquei muito zangada com ele. Tinha uns oito anos, nessa época. Percebi que ele falava a verdade, mas continuei criando fantasias para lidar com o  desagradável que a vida me trazia.

                   Hoje, com tranqüilidade, aceito a inexistência de alguém que sabe de meus desejos, até aqueles jamais ditos, de alguém que me surpreenderá, realizando minhas mais pueris fantasias, de alguém que é só bondade e magia...

                   Papai-Noel não existe, mas existem as pessoas que eu amo e respeito. Existe a vontade de compartilhar, de estar junto e vivenciar momentos de alegria, existe a crença de que eu me torno mais feliz, se estiver em relação com quem cultiva a paz e a harmonia.

                  Gosto de ver a família reunida,  a árvore iluminada e a mesa posta. Percebo que isso ameniza as dificuldades pelas quais passei.

                   Propositalmente, não faço associações com o momento de forte significado cristão, porque aprendi que o espírito do Natal transcende as diferenças religiosas.

                   Meus clientes de vários credos, nessa época, expressam seus desejos de paz, de união e de amor...

                  Todos nós somos irmãos na busca de crescimento e de auto-realização.

                    Papai-Noel não existe, é verdade. Mas, eu e você existimos, existe a vida, existe a fé e existe um caminho para aprender a viver e a amar!

                    Faça um Natal especial ! Dê um presente valioso para você mesmo: celebre a vida e tudo que você construiu até agora!

                     Pense nisso e um Feliz Natal!

                                                                                  Elisabeth Salgado